sábado, 10 de setembro de 2016

A inclusão do deficiente na sociedade

Observação: resolvi postar esse texto hoje para expor minha indignação a várias emissoras que fizeram questão de transmitir os Jogos Olímpicos, mas que estão "cagando e andando"para as Paralímpiadas.


Cão guia. Cadeira de rodas. Libras. Esses são alguns argumentos elementos presentes no cotidiano de um deficiente físico. Em meio a um ano no qual o país sedia as paralímpiadas, questiona-se sobre a inclusão dos portadores de necessidades especiais na sociedade, visto que há empecilhos estruturais e culturais que dificultam esse processo.

Os espartanos eram extremamente intolerantes em relação aos que apresentavam debilidades anatômicas, uma vez que promoviam a eliminação desses indivíduos a fim de gerar o "exército perfeito", A criação de uma "raça pura" ressurge no século XIX na República brasileira. A ausência de acessibilidade nas diversas esferas sociais permite que apenas cidadãos considerados "normais" exerçam seu direito ao convívio social. Isso promove a "seleção artificial" daqueles que não se encaixam no "padrão corporal", algo que os exclui socialmente.


Como consequência da dinâmica apresentada, ocorre o desenvolvimento de uma cultura de incompreensão e distanciamento do deficiente. A série "Demolidor", um dos produtos mais famosos da Netflix, relata a história de um rapaz que, apesar de apresentar deficiência visual, é um super-herói. Ofuscada por essa e tantas outras visões romantizadas dessas funções, o cidadão comum passa a acreditar que o portador de necessidades especiais é capaz de "enfrentar as barreiras sociais" impostas a ele. Isso contribui para que não haja reivindicações de adaptações para esses indivíduos, o que leva a isenção de tal parcela da população do convívio social.

As dificuldades de se incluir os deficientes na sociedade decorrem de fatores estruturais e culturais. Logo, é necessário que o Governo Federal, através de políticas públicas para portadores de necessidades especiais, potencialize a mobilidade urbana. Além disso, é preciso que ONG's, por meio da campanhas nos espaços de convivência, desconstrua a visão social existe sobre esses indivíduos. Essas propostas permitirão que as disfunções anatômicas deixem de ser obstáculos integrativos.

Observação 2: sinto muito se alguma pessoa com deficiência ficou chateado com os sinônimos que usei no texto. Como fiz esse texto para a minha professora de redação, eu não podia repetir as palavras :( e eu não sabia outras que não fossem "ofensivas". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário